Friday, November 22, 2013

No Azul II - variações sobre um mesmo tema

O zunido do impulso na água, 
as bolhas que se formam, 
com as braçadas,
acompanhando os contornos 
do corpo, 
explodindo em mil pequenos 
borbulhantes sons, 
delicadamente interrompendo
a quietude, o silêncio. 

O corpo alongado
alcançando o infinito, 
O azul que envolve o corpo, 
envolve a alma, 
sutilmente invade, 
gentilmente acolhe.

A água, 
que cura,
que acalma.
De onde viemos, 
Para a qual voltamos.
Nada mais importa, 
a não ser a água.
Nada é maior do que a água.

2 comments: