Skip to main content

Posts

Showing posts from February, 2018

Quando

Quando se é a sombra de uma estrela esparramada sobre o mapa-múndi, cruzando terra e água, longe e perto de sua própria constelação. Quando se está aqui e lá, quando se tem tudo e sempre se quer mais. Quando vão-se os anéis e ficam os dedos e é possível ser "um sem deixar de ser plural". Quando se "vê a linha fina que separa aqui e ali" e, ao vê-la, não se contenta enquanto não a cruza. Quando se quer estar lá e cá e se quer amar, amar, amar.



VERBETES: 1- TESÃO

Voz que estremece.  Rosto que toca outro em abraço, ao acaso, e dali não mais sai. Quer mesmo é virar a boca na outra boca. Ali colar e grudar e ficar um, corpo só, um.

Olhar que arrepia, enrubesce. Toque que dura na pele, faz alma, corpo, sexo pulsar. E o pulsar reverbera. Quer apertar morder, comer, engolir inteiro. Triturar, não deixar pedacinho, e ainda lamber os beiços.

É pau duro, é buceta latejante. É desejar consumir, é querer ser consumido. É entrar em combustão e explodir. É embolar e misturar. É dissolver, derreter, não mais ser, escorrer no escoadouro do outro e sumir.