Wednesday, April 23, 2014

Em casa

Em casa não caibo
Apertam-me 
as necessidades
as listas de compras
a falta do sal
O pão que acabou

Em casa não caibo
São muitas perguntas
Não tenho respostas
Me falta o silêncio

Em casa não caibo
Empilham-se louças,
roupas sujas, 
cobranças

Livros não abertos
Textos não escritos
Compromissos atrasados
Entulham a casa 
E nela, não caibo

Pelas janelas transbordam 
Os desejos
Derramam 
por baixo das portas
os sonhos de conquistar
Escorrem pelas escadas
quem quis 
e não há como ser

No comments:

Post a Comment